quarta-feira, 2 de agosto de 2017

6 Meses a Consumir Açúcar Fora de Prazo

Olá. 

Tudo bem? 

Óptimo, comigo também. 

Alguém quer adivinhar que episódio inútil é que eu venho partilhar hoje? 

Não? 

Aquele menino tímido ali do canto, não quer dizer nada? 

Não? 

Ok, eu avanço sozinha então. 

Ando desde 23 Janeiro de 2017 a consumir pacotes de açúcar fora do prazo e só me apercebi hoje. E apercebi-me porque a embalagem chegou ao fim e calhou as datas estarem viradas para mim quando a deitei fora. 

Ora, que efeitos nocivos teve no meu organismo o consumo de açúcar fora de prazo? 

Até ver, nenhuns. 

Problemas de trânsito intestinal? Continuam 
Vómitos? Zero
Comichões? Só na cabeça mas isso é por causa dos piolhos  (oh pá, tenho tanta graça)
Borbulhas? As 17 do costume na trombinha que Deus me deu
Tonturas e Alucinações: Só quando me encontrava embriagada 

Alguém quer tecer considerações sobre isto? 

É que nem a um internamento na CUF por intoxicação alimentar eu tive direito. Que vida miserável e aborrecida a minha.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Sou uma Badass

Ontem disseram-me assim "não te esqueças que já tens uma multa recente porque foste apanhada em excesso de velocidade."


Vá-se lá saber porquê, mas rejubilei por dentro ao ouvir isto. Senti-me uma badass do caraças, senti-me poderosa, senti-me uma gaja boazona que conduz 'buéda bem, cheguei mesmo, por milésimas de segundo, a sentir-me uma fugitiva da polícia ao lado do Vin Diesel no Velocidade Furiosa 14. 





No entanto, também soube descer à terra cheia de velocidade ao me lembrar dos € 120,00 que larguei.  

É que infelizmente não foi o Vin Diesel que os pagou.

(Se quiserem saber mais sobre o episódio da multa, é ler aqui)

terça-feira, 25 de julho de 2017

Esta Noite Tive Um Sonho

Esta noite tive um sonho e se fechar os olhos neste momento ainda me consigo lembrar do que vi e do que senti. Poucos são os sonhos que nos ficam gravados na memória, e todos sabemos que os que ficam, muitas das vezes acompanham-nos até ao fim dos nossos dias. Este será sem dúvida um deles. 

Estava escuro, mas eu conseguia ver uma parede branca e o seu corpo robusto na minha direcção. Aproximou-se lentamente como que a querer dar a entender que não estava ali. No entanto, vestido com cores não muito usuais, chamou-me à atenção. Não sei que intenções teria, mas ao ver aquele corpo a aproximar-se de mim, o meu instinto foi fugir. Se tivesse deixado que me tocasse, muito provavelmente conseguiria neste momento fechar os olhos e sentir o seu toque na minha pele. Por saber que o seu corpo me iria provocar uma dor profunda e lancinante, fugi assim que o senti perto. Fugi sem olhar para trás com o único propósito de sair dali o mais rapidamente possível.

Depois de recuperar o fôlego e de constatar que o caminho estava seguro, fiquei contente por constatar que a minha capacidade de resposta em momentos de aflição é fantástica. Gostava que tivessem visto o salto que dei da cama, quando UMA ARANHA FELPUDA DE 30 CM DE COMPRIMENTO ME INVADIU OS SONHOS E COMEÇOU A RASTEJAR PELA PAREDE DO MEU QUARTO. 

Gostava também de agradecer à minha amiga Sofia por me ter mostrado uma foto de uma aranha que tinha em casa. Ela às vezes esquece-se que eu tenho a cabeça de uma criança de 5 anos. 

Que sonho tão real meu Deus do céu.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Concertos para Cotas

Ontem, a convite do meu Pai, fui ver os The Pretenders ao EDP Cool Jazz.

Nunca tinha estado num concerto para malta com mais de 40 anos, e há algumas coisas que gostava de partilhar com vocês:
* Os cotinhas chegam todos 17 horas mais cedo. O concerto é quase às 23:00, não há nada para fazer no recinto, mas às 20:00 já lá está tudo. Nós não fomos excepção, claro. Ainda não tinha acabado de mastigar a última fatia de pizza (valha-me isso, pelo menos a minha noite incluiu pizza) e já o meu pai me estava a apressar: "Vá, vamos andando para arranjarmos lugar".  
 

* Aspecto positivo de concertos para cotinhas: deixam-me entrar com garrafa de água. 



* Já no recinto, é só ver passar cotinhas todos contentes. Banho tomado, os homens com gel/brilhantina/cera/merdas sinistras que usam para segurar o capachinho, e elas com os olhos a brilhar, porque coitadinhas, o último programa excitante que fizeram foi em Agosto do ano passado nas Festas do Mar. Também não falta o pullover por cima nos ombros, claro, que à noite arrefece. 

* Depois de analisado o recinto todo sempre de mãozinha no bolso e passo de caracol, é altura de escolher o lugar e tirar 300 fotos. Fotos ao palco, fotos das cadeiras, fotos da lua que começa a aparecer, fotos dos dois, fotos dele, fotos dela, mais uma foto ao palco, foto ao bilhete, fotos fotos fotos. Também não fomos excepção, claro. O meu pai tirou-nos umas 15 selfies.  

* Um minuto de silêncio para os concertos que temos de ver sentados.

* Outro aspecto comum a todos os cotinhas é que não têm qualquer aptidão para a dança. E o que é que eles fazem todos? Dançam na mesma. Sentados. 



* No entanto, mais para o final do concerto comecei a ver malta mais desinibida que se começou a levantar. O problema da desinibição em cotas, que ainda por cima já levam duas jolas no bucho é que a noção de ritmo passa de um, para zero, e o controlo da expressão e movimento corporal desaparece completamente. 






* Guitarras invisíveis: contei 56. Baterias: 42.

* A parte boa de ir a concertos de cotinhas é que eles vêm o concerto com os olhos e não através do ecrã do telemóvel. Não vi quase ninguém a filmar ou a fotografar o concerto.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Os Preços do Supermercado

Antes de viver sozinha e de ser eu a fazer todas as compras para a casa, achava ridículas as conversas da minha mãe e da minha avó em que comparavam os preços da manteiga, da alface, dos cereais, do papel higiénico, etc, nos diferentes supermercados. 

"Olhe que hoje quando fui lá às compras eles tinham o papel da Colhogar a € 2,18 e o da Renova a  € 2,37. A semana passada o da Renova estava a € 2,73. Mas olhe, mesmo assim o papel deles conseguia estar mais barato e foi o que eu trouxe. Não preciso de limpar o cú a marcas." ( Vá, esta parte não aconteceu, fui eu que inventei) 

"Mas estas gajas não têm vida? Mais alguém sabe o preço de metade dos produtos do supermercado sem serem estas duas aves raras?" - Pensava eu na minha inocência. 

Houve até alturas em que me divertia a perguntar à minha mãe o preço do leite Vigor, dos iogurtes Danone, do tomate, dos cereais, e por aí adiante. Não tinha maneira de saber se os preços estavam certos, mas pelo menos a segurança e rapidez com que ela os dizia, mostrava isso mesmo.

Agora que vivo sozinha também já posso participar nas conversas da minha mãe e da minha avó, mas sempre com um nível de esquizofrenia, perdão, sabedoria, ligeiramente diferente. No outro dia, enquanto lanchávamos, e para elas verem que eu não me fico atrás, senti a necessidade de partilhar o que achava ter sido a melhor compra da semana:

"HOJE CONSEGUI ARRANJAR PÊSSEGOS PARAGUAIOS NO CONTINENTE EM PROMOÇÃO. ESTAVAM A € 0,99. TROUXE UMA CARRADA DELES. EEHEHEHEHEH"

Olharam as duas para mim com desdém e percebi logo que tinha feito merda. A confirmação chegou segundos depois quando a minha avó me disse:  

"Daqui a dois dias estão todos podres"

A minha mãe reforçou a ideia com toda uma teoria sobre a fruta do Continente (que é uma merda, já sei) e eu reduzi-me mais uma vez à minha insignificância de pessoa que nem pêssegos sabe comprar.

(Mencionei imeeeeeeeensas marcas neste post. Não fui patrocinada, mas adorava ter sido.)