quarta-feira, 2 de agosto de 2017

6 Meses a Consumir Açúcar Fora de Prazo

Olá. 

Tudo bem? 

Óptimo, comigo também. 

Alguém quer adivinhar que episódio inútil é que eu venho partilhar hoje? 

Não? 

Aquele menino tímido ali do canto, não quer dizer nada? 

Não? 

Ok, eu avanço sozinha então. 

Ando desde 23 Janeiro de 2017 a consumir pacotes de açúcar fora do prazo e só me apercebi hoje. E apercebi-me porque a embalagem chegou ao fim e calhou as datas estarem viradas para mim quando a deitei fora. 

Ora, que efeitos nocivos teve no meu organismo o consumo de açúcar fora de prazo? 

Até ver, nenhuns. 

Problemas de trânsito intestinal? Continuam 
Vómitos? Zero
Comichões? Só na cabeça mas isso é por causa dos piolhos  (oh pá, tenho tanta graça)
Borbulhas? As 17 do costume na trombinha que Deus me deu
Tonturas e Alucinações: Só quando me encontrava embriagada 

Alguém quer tecer considerações sobre isto? 

É que nem a um internamento na CUF por intoxicação alimentar eu tive direito. Que vida miserável e aborrecida a minha.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Sou uma Badass

Ontem disseram-me assim "não te esqueças que já tens uma multa recente porque foste apanhada em excesso de velocidade."


Vá-se lá saber porquê, mas rejubilei por dentro ao ouvir isto. Senti-me uma badass do caraças, senti-me poderosa, senti-me uma gaja boazona que conduz 'buéda bem, cheguei mesmo, por milésimas de segundo, a sentir-me uma fugitiva da polícia ao lado do Vin Diesel no Velocidade Furiosa 14. 





No entanto, também soube descer à terra cheia de velocidade ao me lembrar dos € 120,00 que larguei.  

É que infelizmente não foi o Vin Diesel que os pagou.

(Se quiserem saber mais sobre o episódio da multa, é ler aqui)

terça-feira, 25 de julho de 2017

Esta Noite Tive Um Sonho

Esta noite tive um sonho e se fechar os olhos neste momento ainda me consigo lembrar do que vi e do que senti. Poucos são os sonhos que nos ficam gravados na memória, e todos sabemos que os que ficam, muitas das vezes acompanham-nos até ao fim dos nossos dias. Este será sem dúvida um deles. 

Estava escuro, mas eu conseguia ver uma parede branca e o seu corpo robusto na minha direcção. Aproximou-se lentamente como que a querer dar a entender que não estava ali. No entanto, vestido com cores não muito usuais, chamou-me à atenção. Não sei que intenções teria, mas ao ver aquele corpo a aproximar-se de mim, o meu instinto foi fugir. Se tivesse deixado que me tocasse, muito provavelmente conseguiria neste momento fechar os olhos e sentir o seu toque na minha pele. Por saber que o seu corpo me iria provocar uma dor profunda e lancinante, fugi assim que o senti perto. Fugi sem olhar para trás com o único propósito de sair dali o mais rapidamente possível.

Depois de recuperar o fôlego e de constatar que o caminho estava seguro, fiquei contente por constatar que a minha capacidade de resposta em momentos de aflição é fantástica. Gostava que tivessem visto o salto que dei da cama, quando UMA ARANHA FELPUDA DE 30 CM DE COMPRIMENTO ME INVADIU OS SONHOS E COMEÇOU A RASTEJAR PELA PAREDE DO MEU QUARTO. 

Gostava também de agradecer à minha amiga Sofia por me ter mostrado uma foto de uma aranha que tinha em casa. Ela às vezes esquece-se que eu tenho a cabeça de uma criança de 5 anos. 

Que sonho tão real meu Deus do céu.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Concertos para Cotas

Ontem, a convite do meu Pai, fui ver os The Pretenders ao EDP Cool Jazz.

Nunca tinha estado num concerto para malta com mais de 40 anos, e há algumas coisas que gostava de partilhar com vocês:
* Os cotinhas chegam todos 17 horas mais cedo. O concerto é quase às 23:00, não há nada para fazer no recinto, mas às 20:00 já lá está tudo. Nós não fomos excepção, claro. Ainda não tinha acabado de mastigar a última fatia de pizza (valha-me isso, pelo menos a minha noite incluiu pizza) e já o meu pai me estava a apressar: "Vá, vamos andando para arranjarmos lugar".  
 

* Aspecto positivo de concertos para cotinhas: deixam-me entrar com garrafa de água. 



* Já no recinto, é só ver passar cotinhas todos contentes. Banho tomado, os homens com gel/brilhantina/cera/merdas sinistras que usam para segurar o capachinho, e elas com os olhos a brilhar, porque coitadinhas, o último programa excitante que fizeram foi em Agosto do ano passado nas Festas do Mar. Também não falta o pullover por cima nos ombros, claro, que à noite arrefece. 

* Depois de analisado o recinto todo sempre de mãozinha no bolso e passo de caracol, é altura de escolher o lugar e tirar 300 fotos. Fotos ao palco, fotos das cadeiras, fotos da lua que começa a aparecer, fotos dos dois, fotos dele, fotos dela, mais uma foto ao palco, foto ao bilhete, fotos fotos fotos. Também não fomos excepção, claro. O meu pai tirou-nos umas 15 selfies.  

* Um minuto de silêncio para os concertos que temos de ver sentados.

* Outro aspecto comum a todos os cotinhas é que não têm qualquer aptidão para a dança. E o que é que eles fazem todos? Dançam na mesma. Sentados. 



* No entanto, mais para o final do concerto comecei a ver malta mais desinibida que se começou a levantar. O problema da desinibição em cotas, que ainda por cima já levam duas jolas no bucho é que a noção de ritmo passa de um, para zero, e o controlo da expressão e movimento corporal desaparece completamente. 






* Guitarras invisíveis: contei 56. Baterias: 42.

* A parte boa de ir a concertos de cotinhas é que eles vêm o concerto com os olhos e não através do ecrã do telemóvel. Não vi quase ninguém a filmar ou a fotografar o concerto.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Os Preços do Supermercado

Antes de viver sozinha e de ser eu a fazer todas as compras para a casa, achava ridículas as conversas da minha mãe e da minha avó em que comparavam os preços da manteiga, da alface, dos cereais, do papel higiénico, etc, nos diferentes supermercados. 

"Olhe que hoje quando fui lá às compras eles tinham o papel da Colhogar a € 2,18 e o da Renova a  € 2,37. A semana passada o da Renova estava a € 2,73. Mas olhe, mesmo assim o papel deles conseguia estar mais barato e foi o que eu trouxe. Não preciso de limpar o cú a marcas." ( Vá, esta parte não aconteceu, fui eu que inventei) 

"Mas estas gajas não têm vida? Mais alguém sabe o preço de metade dos produtos do supermercado sem serem estas duas aves raras?" - Pensava eu na minha inocência. 

Houve até alturas em que me divertia a perguntar à minha mãe o preço do leite Vigor, dos iogurtes Danone, do tomate, dos cereais, e por aí adiante. Não tinha maneira de saber se os preços estavam certos, mas pelo menos a segurança e rapidez com que ela os dizia, mostrava isso mesmo.

Agora que vivo sozinha também já posso participar nas conversas da minha mãe e da minha avó, mas sempre com um nível de esquizofrenia, perdão, sabedoria, ligeiramente diferente. No outro dia, enquanto lanchávamos, e para elas verem que eu não me fico atrás, senti a necessidade de partilhar o que achava ter sido a melhor compra da semana:

"HOJE CONSEGUI ARRANJAR PÊSSEGOS PARAGUAIOS NO CONTINENTE EM PROMOÇÃO. ESTAVAM A € 0,99. TROUXE UMA CARRADA DELES. EEHEHEHEHEH"

Olharam as duas para mim com desdém e percebi logo que tinha feito merda. A confirmação chegou segundos depois quando a minha avó me disse:  

"Daqui a dois dias estão todos podres"

A minha mãe reforçou a ideia com toda uma teoria sobre a fruta do Continente (que é uma merda, já sei) e eu reduzi-me mais uma vez à minha insignificância de pessoa que nem pêssegos sabe comprar.

(Mencionei imeeeeeeeensas marcas neste post. Não fui patrocinada, mas adorava ter sido.)

terça-feira, 18 de julho de 2017

Fornecedores

Não gosto de pessoas que não são pontuais. Sou muito pouco tolerante com os meus amigos, super tolerante com os nossos clientes no escritório (porque são clientes, e eles é que me pagam o ordenado) e zero tolerante com fornecedores/comerciais. 

Por um lado, quando um comercial/fornecedor se atrasa e não liga a avisar fico possuída pelo demónio. Por outro, rejubilo, porque sei que quando ele chegar vou poder fazer uma das minhas brincadeiras preferidas. 

Escrevo este texto porque isso aconteceu-me aqui há uns dias. Tinha uma reunião com um fornecedor às 14:30, e ele tocou-me à campainha às 15:15 e não ligou a avisar.

Quando isso acontece,abro sempre a porta com um ar super feliz e contente, e digo na maior das ingenuidades:

"Olááááá, como estáááá? (Olho para o relógio). Não me diga que tínhamos marcado para as 15:15? É que na minha agenda marquei 14:30 veja lá...." 

A parte gira entra aqui: ficam quase todos com cara de cona, super atrapalhados, e é um prazer para mim vê-los a desfazerem-se à minha frente em desculpas e justificações.

Tenho os nossos fornecedores quase todos na mão, e não é por ser cliente. É por serem quase todos uns atrasados mentais de uns incompetentes incapazes de serem pontuais.

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Performance

Ontem não fui ver The XX ao Alive e isso partiu-me o coração. Hoje estou para aqui no trabalho a ouvir os três álbuns de rajada. Como não é a banda mais animada do mundo, e como eu estou com o período (uma informação que sei que vos vai enriquecer imenso) estou a ficar deprimida 'comó raio. Não me importo. Na realidade até me faz bem. Ajuda-me a processar e a resolver as coisas. Aos poucos.  

O blog também voltará. Aos poucos. A vontade e o espírito para a escrita não têm sido grandes.  Deixo-vos uma música bonita e uma letra ainda melhor, para vos tentar deprimir também. Não posso estar sozinha nisto não é verdade? 




If I scream at the top of my lungs
Will you hear what I don't say?
If I dance like I'm on a stage
Will you see I seem out of place?
If I put on a disguise
Will you think everything's alright?
If I leave before the end
Will you forget that I was there?

When you saw me leaving
Did you think I had a place to go?
Since you stopped believing
I've had to put on my own show

I'll put on a performance
I'll put on a show
It is a performance
I do it all so
You won't see me hurting
When my heart it breaks
I'll put on a performance
I'll put on a brave face

Even when I was hiding
You could always find me
Now you've stopped looking for me
But I'm still playing hide and seek
I want you to notice
But you just don't see
The show is wasted on you
So I perform for me

When you saw me leaving
Did you think I had a place to go?
Since you stopped believing
I've had to put on my own show

I'll put on a performance
I'll put on a show
It is a performance
I do it all so
You won't see me hurting
When my heart it breaks
I'll put on a performance
I'll put on a brave face

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Isto dos Blogs dá Mesmo Dinheiro

Seduzida pelos milhões de Euros que podia ganhar com o meu blog com 3 visualizações diárias, decidi aderir à publicidade no blog. Não me julguem nem me façam perguntas, que na minha cabeça isto fazia sentido. 

Claaaaaaaaaaaaaaro que o meu objectivo não era ser contactada por marcas, porque não há pachorra para essa merda, era apenas e só o de ganhar dinheiro sem mexer uma palha. O sonho de vida de qualquer Ser Humano, portanto.

Para dizer a verdade, já nem me lembrava que tinha publicidade no blog. Foi quando andava  à procura de um texto que vi a página repleta de cores e anúncios e fez-se luz: "deixa cá ver quanto é que isto já rendeu ehehehehehehehe" 

Fui toda contente à minha conta do AdSense, a bombar desde Outubro de 2016, e à partida substancialmente carregada de dinheiro, para constatar que já ganhei: 

27 Cêntimos!!!!!!!! 

Sinto-me imparável. Amanhã vou ao banco abrir uma conta poupança.

terça-feira, 6 de junho de 2017

Catarina e a Crush do Ginásio

Era uma vez uma menina chamada Catarina que tinha uma crush no ginásio.

O Miguel, vamos chamar-lhe assim, aparentava ser um homem como deve ser: 
  • alto, 
  • bonito, 
  • bem constituído e proporcional,
  • com um corte de cabelo normal,
  • com roupa de ginásio normal.
Nos dias que correm, e ainda para mais em ambiente de ginásio, é muito difícil encontrar um homem como deve ser, motivo pelo qual Miguel chamou a atenção de Catarina. 

Como Catarina é uma rapariga tímida, limitou-se a amar Miguel em silêncio durante algumas semanas. Não se cruzavam muitas vezes, mas sempre que o via, o coração de Catarina palpitava. 

Ontem estavam a treinar ao mesmo tempo, e, ao contrário do que possam estar à espera, não se sentiu qualquer ambiente de tensão na sala. Catarina acabou o seu treino de musculação e com o coração despedaçado por deixar assim o seu amor, foi para a sala de cardio. Passado uns minutos entra Miguel. 

Sobe para a passadeira, que felizmente era a que estava em frente à bicicleta onde Catarina se encontrava, e começa a correr. 

E é aí que a magia DESAPARECE! 

Miguel começa a correr de uma maneira estranha. Tão estranha que Catarina coloca a hipótese de o espírito de uma borboleta se ter apoderado do seu macho latino. Está tudo errado na maneira como Miguel corre: levanta muito os pés do chão, abana demasiado as ancas e dá aos braços de uma forma meio maricas. Catarina não quer acreditar no que está a ver, por isso continua a pedalar para ver se se consegue afastar da dura realidade com a qual está a ser confrontada mas a bicicleta teima em não sair do sítio, e Miguel teima em continuar a correr de forma ridícula.

Sem forças para continuar e devastada pelo final trágico daquela bonita história de amor, Catarina só tem uma solução; aceitar a dura realidade que lhe foi posta de forma cruel à frente dos olhos: MIGUEL É LARILAS! 

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Lol

Aqui há uns tempos o Continente dava uns selos por cada € 20 em compras, que podíamos trocar por copos. Como estava meio desfalcada de copos no meu enxoval, reuni as minhas tropas (a minha mãe e a minha avó) e fomos à luta. A brincar a brincar (quer dizer, não foi bem a brincar, foi mais a largar dinheiro pra c*ralho em compras) ainda conseguimos um conjunto de 6 copos normais para água/sumo, 2 de champagne e mais uns 4 de vinho.  

Na 2ª feira a minha mãe reencaminhou-me a mensagem do Continente que dizia que iam voltar com os copos, e eu fiquei histérica, como se pode ver. 





A minha mãe é que já não tem muita paciência para me aturar, coitadinha. Este "lol" arrumou comigo e com a minha euforia.

terça-feira, 30 de maio de 2017

As Mulheres do meu Balneário

Hoje trago-vos um apanhado que fiz de algumas das mulheres com quem tenho o prazer de partilhar balneário. "Eh pá..mais um post sobre o ginásio?" - Perguntam vocês.  
É verdade meus fofinhos. Desculpem, mas falta de vida dá nisto.

Quando chego ao balneário (antes de ir treinar) está na ponta oposta à minha, a Olheira. A Olheira é uma criança sinistra de 12 ou 13 anos, que deve acabar a aula de natação e que se está sempre a vestir quando eu chego. Podia vestir-se como uma criança normal? Claro que podia. Mas o que é que ela insiste em fazer? Vestir-se enquanto olha para mim. Descalço os sapatos, ela está a olhar, tiro as calças, ela está a olhar, ela veste as calças, continua a olhar, e por aí adiante. É constrangedor, mas pronto, é uma criança, temos de dar um desconto.
Vou treinar, e para raio do azar (ou será sorte?) o final do meu treino coincide com o final da aula de hidroginástica. Quem já leu este post sabe que é a aula que tenho o sonho de fazer, mas para a qual ainda não reuni coragem. Cada um com as suas fraquezas, não é verdade? Bom, como estava a dizer, a aula acaba, e lá chega o Gang da Touca ao balneário.

A Contadora de Histórias, é quase sempre das primeiras a chegar. Vem sempre acompanhada e sempre a contar uma história. Depois toma banho a contar outra (sim, acontece) e seca-se a contar outra.

A Rex O Cão Polícia, é uma senhora estranhissima que toma banho mas que continua a tresandar a cão. Já me sequei uma ou outra vez ao lado dela, e ia desfalecendo. 

A Pistas da Blue, é das minhas favoritas: touca azul, fato de banho azul e toalha de banho azul: SEMPRE! 

A Secador é uma senhora que toma banho em dois minutos, e que depois demora 23 a secar o cabelo. Cabelo tipo o meu?? Não. Deve ter uns 5 fios de cabelo no máximo. Quando ela liga o secador deixamos todas de ouvir a Contadora de Histórias, por isso eu acho que esta é a favorita de todas. Menos a minha, a minha continua a ser a Pistas da Blue.

A Boss é quase sempre a última a chegar e a única que cumprimenta quem já está no balneário. É uma Romena grande, com cabelo curto e preto, que um dia disse boa tarde quando entrou e não levou resposta de uma outra senhora, e comentou: "esta deve ser surda". Pessoalmente, tenho medo dela.

Por fim existe a Autista, que é uma gaja que está lá sempre a um canto, meio alheia ao que se está a passar, mas que na realidade está a absorver tudo para depois ir escrever no blog.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Quem tem Medo de Virginia Woolf?

Porque nem só sobre palermices se escreve neste blog, hoje trago-vos uma sugestão para o vosso fim-de-semana: vão ao teatro.

Fui ontem ao Teatro da Trindade ver a peça Quem tem Medo de Virginia Woolf? e entrou directamente para o Top das peças de que mais gostei até hoje. Gostei mesmo muito. Está tão bem adaptada, tão bem representada, tão suave mas ao mesmo tempo tão intensa, com tiradas geniais de humor que são incrivelmente conjugadas com uma carga dramática tão sentida que somos transportados para a pele de cada um deles sem nos darmos bem conta disso. Tempos de representação, segurança e confiança em palco, que delícia de peça. 

Nunca tinha visto a Alexandra Lencastre nem o Diogo Infante a representar, e estava mesmo muito curiosa. Fiquei fascinada com ambos. A Alexandra Lencastre devia largar as novelas e dedicar-se mais, muito mais ao teatro. 

Aceitem o meu conselho e vão ver esta peça. Não se vão arrepender, prometo.

E já agora, têm alguma peça que recomendem para troca? É que felizmente ainda tenho amigas que gostam de ir ao teatro. Há que aproveitar. 

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Aos Homens que Fazem Amor no Ginásio

Antes de mais gostava de vos perguntar se gostaram do jajão que vos dei no post anterior. Não? Óptimo. 

Apesar de andar ausente do blog, não ando ausente do ginásio. Aliás, depois do trabalho e do sofá da minha sala, o ginásio deve ser o sítio onde tenho passado mais tempo. Triste vida a minha, eu sei. 

Bom, adiante. 

Há um problema com alguns homens do meu ginásio. Quer dizer, há problemas com os homens no geral, mas isso deixamos para depois.

O problema dos homens do meu ginásio, para além de só haver um ou dois minimamente atraentes, é que gemem. Sim, fazem um bocadinho mais de esforço, e gemem. Num momento estamos numa sala de musculação a trabalhar o nosso glúteo esquerdo e passados 5 segundos damos por nós numa realidade paralela onde há um homem ao canto a fazer amor. Como se isso não fosse problema suficiente, torna-se absolutamente constrangedor perceber que ele está a fazer amor com uma máquina. E isso, meus amigos, consegue ser ainda mais triste do que a minha vida. 

Deixo então aqui um pedido aos homens que fazem amor no ginásio: não o façam. 

Pode estar a ser muita bom para vocês, acredito que sim, aliás, os vossos gemidos provam-no, mas não o está a ser para quem está à vossa volta. 

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Vou Continuar Calada

Já não escrevo aqui há quanto tempo mesmo? 

O giro no meio disto tudo é que as minhas visualizações dispararam. São vocês que com saudades vão ler over and over again os meus posts, ou lançaram-me aqui uma bruxaria qualquer? 

Independentemente da resposta, vou continuar assim, caladinha que nem um rato, para as visualizações continuarem a aumentar e eu não ganhar rigorosamente nada com isso.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Fim-de-Semana no Alentejo

Lembram-se de vos ter dito que ia de fim-de-semana com a minha mãe? Claaaaaaaaaaro que se lembram, deve ter sido a última vez que ouviram falar de mim! Peço desculpa pela ausência, mas são fases. Não vim aqui dizer grande coisa (para não variar), venho só mesmo deixar-vos as fotografias desse fim-de-semana. Não que alguém mas tenha pedido, mas deixo na mesma. 

O fim-de-semana foi pautado por um calorzinho que soube pela vida, por muitas praias, muito mar, pelo azul do céu e pelo ritmo de vida alentejano: devagar, devagarinho. 

Visitámos Porto Covo, a Zambujeira do Mar, Vila Nova de Milfontes e a Lagoa de Stº André.

Voltava já no próximo. 
 











quinta-feira, 23 de março de 2017

No meu Ginásio #2

No outro dia entrei no balneário e vi uma velhota toda nua a secar-se com o secador. 

Dei uma chapada a mim mesma, não fosse ainda estar na cama a dormir e estar a sonhar com o balneário de um hospício, mas doeu 'pra cacete, por isso assumi que o que estava a acontecer era real. 

Fui à minha vidinha, mas não me estava a conseguir abstrair do que estava a acontecer e o meu terceiro ou quarto pensamento (não me façam revelar os primeiros) foi: "vá, não sejas rude Ana Catarina, provavelmente esqueceu-se da toalha e está a safar-se como pode". 

Observei-a um pouco melhor para esclarecer esta minha suposição, e dei de caras com um toalhão branco em cima da bancada. Não, não se tinha esquecido da toalha.

Por que raio estava ela a secar-se com o secador então?

Não tive a coragem (nem o direito) de lhe perguntar o que raio estava a fazer. Sei que fiz mal e arrependo-me muito; esta dúvida ainda me atormenta nos dias de hoje e tira-me horas de sono. Horas senhores, horas.

quarta-feira, 22 de março de 2017

As minhas Havaianas

Sabem os chinelos baratuchos que ao fim de um tempo começam a ficar gastos e começam a soltar-se? Claaaaaaaaroooo que sabem. Vocês são tão ou mais pelintras do que eu. 

Quando os chinelos se soltam, sabemos que estão perto do fim, mas ainda conseguimos aguentar mais um tempinho porque eles se soltam sempre de maneira a que consigamos encaixa-los novamente. Claro que não podemos fugir ao ligeiro momento de embaraço quando o chinelo se solta, que ainda por cima acontece sempre que vamos a desfilar cheios de estilo pelo paredão, mas é um problema que tem sempre solução.

Ora, porque é que isso não aconteceu com as minhas havaianas? Porque é que as minhas Havaianas, que ainda por cima eram ultra giras e tinham vindo directamente do Brasil, não só se soltaram, como acaba por acontecer a todos os chinelos deste género, como ainda se partiram? Porquê, Porquêêêêêêê? Estão a ver aquela rodinha que vocês encaixam no buraquinho? Pois é; já não há rodinha para ninguém, partiu-se ao meio. Tal como o meu coração. 

Deixem-me. Eu fico bem.

terça-feira, 21 de março de 2017

No meu Ginásio #1

A maior parte da malta que compra t-shirts com mensagens, está a borrifar-se para a forma como as usa ou se se identifica sequer com a mensagem que a t-shirt quer passar.

O rapaz do meu ginásio que mede 1.30cm e que decidiu levar uma t-shirt de alças cor-de-laranja fluorescente, com um decote em V até aos mamilos, identificou-se claaaaaaaaramente com a mensagem que a t-shirt queria passar: 

TAKE RISKS!

segunda-feira, 20 de março de 2017

Fim-de-Semana em Évora







No Jardim Público de Évora








 No Centro Histórico de Évora


A Universidade de Évora 



(Esta fotografia vai levar uns toques e vai ser emoldurada. Gosto muito dela)


Em Arraiolos 




Em Nossa Senhora de Guadalupe




As fotos não têm edição porque (ainda) sou uma leiga no assunto, mas não queria deixar de as partilhar. A minha próxima escapadinha vai ser a Vila Nova de Milfontes com a senhora minha Mãe.

Alguém tem sugestões?  

quinta-feira, 16 de março de 2017

O Pequeno-Almoço dos Hotéis

Uma vez que é quase hora do lanche (pelo menos para mim), vamos falar do pequeno-almoço dos hotéis? 'bora lá.

Só tenho duas palavras para os  descrever: VALE TUDO!

Tenho a ligeira impressão que toda a gente se transforma num ogre esfomeado quando entra na sala do pequeno-almoço do hotel. Claro que entram todos com um ar super tranquilo e descontraído, a arrastar os pézinhos, como se não tivessem fome por aí além e se estivessem a borrifar para as sete mesas carregadas de comida que têm à frente. No entanto, lá no fundinho, todos sabem a noite miserável que tiveram: passada em branco, a olhar para o relógio, e a magicar o que os aguardava lá em baixo no dia seguinte. Pelo menos comigo é isto que acontece, e não tenho vergonha de o admitir.

No pequeno-almoço dos hotéis vale tudo: vale comer 4 brioches mistos com manteiga, intercalados com uma taça de cereais e empurrados para baixo com um sumo de laranja. Como se essa quantidade astronómica de comida não fosse suficiente, ainda sentimos um ratinho no estômago e ainda aviamos mais duas torradas com doce de pêssego, que fazemos descer com um cappucino e tapamos com uns ovos mexidos com cogumelos. Como temos de chular a coisa ao máximo, ainda nos levantamos mais uma vez para cortar uma fatia fininha de bolo de laranja, que acompanhamos com um bocadinho de doce de amora.

Ali naquela sala é perfeitamente aceitável comer duas salsichas acompanhadas com uma tigela de leite com Chocapic. Em casa isso seria impensável, verdade? Ali podemos. Ali ninguém nos vai julgar porque estão todos demasiado ocupados a pensar no que vão comer a seguir. No meu caso, nunca me passaria pela cabeça comer cereais com sumo de laranja ao pequeno-almoço. Não por causa das calorias e dessas merdas fit a que eu não ligo nenhuma, mas porque no meu cérebro essa conjugação não funciona. Mas ali, naquela sala que se apoderou de mim e exerceu um poder inexplicável, dei por mim a transformar-me numa libertina e a misturar não uma, mas duas variedades de cereais, com sumo de laranja.

O meu namorado foi uma das pessoas que também se transformou. Não em ogre, porque já o é, mas em esfomeado. Quando saltei da cama cheia de energia, e o obriguei a despachar-se para irmos tomar o pequeno-almoço gritou-me um: 

"TU ÉS MALUCA? COMER A ESTA HORA? AINDA AGORA ACORDEI E JÁ VOU COMER? ÉS DOIDA." 

Como quem manda na relação sou eu, passados 20 minutos estava lá em baixo. Contrariado, mas estava. Entrou na sala com um ar de desdém estampado no rosto, mas bastaram 7 segundos para que se convertesse. De pessoa que não come nada, passou para pessoa que come 5 brioches com marmelada, marmelada com marmelada (sim), duas taças de café com leite, ovos mexidos e uma carcaça com manteiga e queijo.
 
Há quem goste de guardar no coração a memória de um abraço, de um beijo, de umas palavras bonitas.. eu gosto de parar no tempo e lembrar-me do pequeno almoço maravilhoso que tive no sábado. 

Sou só eu? Também são assim? Contem-me tudo. 

quarta-feira, 15 de março de 2017

Ó Gente da Minha Terra

Depois de mais de um mês de ausência (!), e cedendo às fortes pressões de dois dos meus cinco leitores, trago-vos finalmente um novo post.

Este post não diz rigorosamente nada mas é novo, e isso serviu para que tenham ficado contentes por um bocadinho, para agora começarem a ficar irritados por perceberem que estão a perder o vosso precioso tempo a ler.. nada! Sou muito boa a escrever sobre nada não sou? Sou fantástica.

Apertem os cintos, não sei bem porquê, mas apertem, porque amanhã há um novo post e eles vieram para ficar. Ou não. Mas fica sempre bem a um blog fazer este tipo de publicidade enganosa.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Obrigada Marginal

Lá no escritório, a rádio está sempre na Marginal. É a rádio que passa menos anúncios, a que tem menos conversa e a que passa a melhor música. Parece que este post está a ser patrocinado pela Marginal não é verdade? Quem me dera. 

Bom, como eu estava a dizer, é a nossa rádio de eleição e ultimamente no leque dos 5 anúncios que passa (são sempre os mesmos) está um novo sobre o uso do preservativo. 

O anúncio é, entre outras coisas, isto: "use preservativo. o uso do preservativo previne doenças sexualmente transmissíveis. 8 em cada 10 pessoas não usa preservativo. o preservativo previne o risco de uma gravidez indesejada. use preservativo, porque quem anda à chuva molha-se" 

O que mais gosto no anúncio é a forma como ele termina, sem dúvida. No entanto, na minha opinião, o senhor diz muitas vezes a palavra preservativo. No dia-a-dia com os meus dois colegas (sendo um deles o meu patrão ultra conservador), o anúncio tolera-se minimamente. 

Não se tolera tão bem quando decide começar no exacto momento em que estou a receber dois potenciais clientes da empresa. 

"Olá, boa tarde (preservativoo), Catarina, prazer (preservativoo), vamos passar aqui à sala de reuniões (preservativooo)"

São momentos como este que fazem a minha vida valer a pena.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Pânico

De 0 a 10, qual é o vosso nível de pânico quando estão a conduzir e ouvem uma sirene lá ao longe, e ainda não sabem se ela vem no vosso sentido ou no sentido contrário?

O meu é 72.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Tenho Medo

O medo da rejeição e do fracasso torna-nos inseguros e no meu caso está a impedir-me de avançar.

Ainda não consegui reunir a coragem necessária para entrar na aula de hidroginástica. 

O medo de ser rejeitada pelo comité de senhoras de idade avançada que por lá habita está a consumir-me.

Tenho tanto medo. 

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

A Minha Mãe #1

Este é um tipo de conversa acontece com frequência com a minha Mãe: 

Mãe: "Aquilo é ali ao pé da casa dos pais do Miguel Sousa" 
Eu: "Quem é o Miguel Sousa?" 
Mãe: "É aquele miúdo que foi colega do Francisco" 
Eu: "Não faço ideia" 

Uma pessoa normal ficaria por aqui. A minha Mãe não: 

Mãe: "Aquele que era meio enfezadinho" 
Eu: "Não sei" 
Mãe: "Aquele que corria sempre para o Francisco quando ele chegava" 
Eu: "Não sei, não faço ideia" 
Mãe: "Aquele que era sempre o último a ir embora nas festas de anos"
Eu: "Oh Mãe, sei lá quem é que era o último a ir embora das festas de anos" 
Mãe: "Ai Catarina, aquele que a mãe trabalha nos seguros" 
Eu: "Não sei, não faço ideia" 
Mãe: "Aquele que mora ali em Manique, que tem o Jacuzzi em casa" 
Eu: "Aaaaaahhhhh já sei" (não sei nada, digo isto para ela se calar).
Mãe: "Pronto, a loja é aí ao pé da casa dos pais dele" 
Eu: "Eu sei lá onde é que os pais dele moram" 

E lá vamos nós outra vez.. 
 
Mãe: "Então Filha, em Manique" 
Eu: "Está bem, Manique é muito grande" 
Mãe: "Estás a ver o largo?" 
Eu: "Sim" 
Mãe: "Pronto, aí no largo tens uma ruazinha para a direita não tens?" 
Eu: "Sei lá" 
Mãe: "Então, imagina que vais para S. Domingos de Rana.." 
Eu: "Sim.." 
Mãe: "Antes de chegares ao largo, há uma ruazinha para a direita" 
Eu: (já não respondo, recuso-me) 
Mãe: "Antes de uma tabacaria, e da paragem do autocarro..."
Eu: "Aaaaaaaaaah, sim sim" (mais uma vez, só mesmo para ela se calar)
Mãe: "Pronto, é aí nessa rua" 

Às vezes gostava que a minha Mãe desistisse de mim mais facilmente.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Abaixo o Trautear!

Talvez vá ser mal interpretada com o que vos vou revelar a seguir, mas tenho sido sempre honesta e transparente com vocês. Não há segredos entre nós, para o bem e para o mal, e vocês sabem disso. Acho que já vos dei provas suficientes de que estou sempre pronta para uma boa paródia, portanto não me tomem por favor como uma pessoa angustiada ou azeda, com aquilo que vos vou revelar de seguida. 

Tenho-me vindo a aperceber que me irritam mesmo muito as pessoas que murmuram ou que trauteiam canções. Uma pessoa não é de ferro e há coisas das quais não pode fugir, e esta é uma delas. Não pedi para isto me irritar, não gosto que isto me irrite, mas irrita. Oh Deus, se irrita. Dou por mim a pensar que se calhar me estou a tornar numa velha do Restelo que odeia pessoas felizes. Se bem que acho que agora está imenso na moda viver lá.

Sabem aquele gesto inconsciente que quase toda a gente tem quando está feliz, ou quando é só parva, de apertar os sapatos, pentear o cabelo, tirar um café, limpar o pó, seja o que for e murmurar ou trautear uma canção? Quase todos vocês devem fazê-lo, não faz mal, amigos como dantes, mas deixem-me só dizer que isso a mim me irrita solenemente. Irrita-me essa indecisão, esse meio termo, esse não se perceber que canção estão a cantar, esse burburinho como se estivessem a segredar qualquer coisa que não se pode ouvir, mas fazendo questão que se ouça qualquer coisa. Essa melodia que vocês emitem entra-me no cérebro e começa a corroê-lo, e faz com que eu me foque nisso e no quanto isso me irrita. Dou por mim a tentar levantar cadeiras com o poder da mente, para acertar nos cornos de quem decidiu começar a murmurar o Last Christmas por exemplo. Se algum dia me quiserem extorquir uma informação, fechem-me numa sala com alguém a trautear uma canção, e têm o que quiserem de mim em menos de 3 minutos. Se querem cantar, cantem como deve ser pá. Fiquem roxos a tentar atingir aquela nota aguda, desafinem, inventem a letra, mas façam-se uns homenzinhos e umas mulherzinhas e cantem em pleno. 

No outro dia estava no ginásio a vestir-me, e chegou uma senhora que começou a murmurar uma música de merda desde que abriu o saco do ginásio, e não se calou até eu sair do balneário. Foi doloroso para mim, e podia ter sido doloroso para ela se eu não me tivesse controlado e tivesse desatado a gritar aquilo que estava a sentir, que teria sido qualquer coisa como: CALE-SE MULHER, PELO AMOR DE DEUS, CALE-SE COM ESSA MERDA OU EU DOU CABO DE SI!

Digam-me cá uma coisa: as pessoas que fazem isso são assim tão felizes? Estão assim tão relaxadas e tranquilas? Estão a passear num prado verdejante e só elas é que o estão a ver? Porque é que eu não consigo atingir essa plenitude? Pior: porque é que a plenitude dos outros me irrita? 

Ah, e claro, não me façam falar das pessoas que assobiam. 

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Mulheres no Ginásio Vs Homens no Ginásio - Parte III

O ar de sofrimento das Mulheres a treinar braços, é exactamente o mesmo ar de sofrimento dos Homens a treinar pernas!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Inteligência

Olá, sou a Catarina, tenho 28 anos e a minha inteligência permite-me fazer coisas fantásticas como coçar os olhos depois de de ter estado a descascar cebolas.

Não está ao alcance de todos. Só dos melhores. 

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Ele #13

Dou conta que vivo numa sociedade em que as pessoas são cada vez mais egoístas. Só olham para o seu umbigozinho, só querem saber do seu bem-estar e dos seus interesses e adoram mandar bitaites do sofá, esquecendo-se que se podem levantar e meter as mãos na massa para fazer a diferença.

Enquanto tudo isto acontece à minha volta, eu vou tentando fazer a diferença aos poucos e com coisas muito pequeninas, mas que me fazem deitar a cabeça na almofada com o coração feliz e a consciência sempre muito tranquila. E fico mesmo muito feliz por ter ao meu lado uma pessoa que me consegue surpreender pela generosidade e simplicidade com que está na vida.

Isto tudo para agradecer publicamente ao meu amor por ser a 2ª vez que vem comigo fazer uma rota da Re-Food com um frio de rachar, quando era mil vezes mais confortável estar em casa de perna traçada em frente à lareira.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Como Perder 2Kgs em 24Horas

Sempre me intrigaram aqueles anúncios que dizem PERCA 10KGS EM 2 SEMANAS. 

Intrigavam-me esses anúncios porque me parecia algo extremamente doloroso e nada saudável. Mas confesso-vos meus queridos, que não me intrigam mais. Descobri a pólvora, e descobri que sim, que realmente é possível. 

Na realidade descobri melhor, descobri como podem perder 2Kgs em 24horas e não vos vou cobrar rigorosamente nada por essa informação. Não vos vou pedir para ligarem para o meu número e marcarem uma consulta que vos vai custar € 70, não vos vou receitar comprimidos marados, não vos vou fazer beber um chá com cheiro a algas podres, nem vos vou fazer comer uvas o dia inteiro. Foi uma técnica indolor que resultou comigo, por isso também vai resultar convosco. 

Podem perder 2Kgs em 24horas se se pesarem vestidos, e se depois se voltarem a pesar nus.

Não teve piada? OK eu saio. 

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Mulheres no Ginásio Vs Homens no Ginásio - Parte II

Mulheres no Ginásio: "Bom, que ténis vou levar hoje? Hmmmmmmmmm.. Podem ser estes cor-de-rosa. Vou levar com estas calças pretas que têm uma faixa cor-de-rosa suuuuuuper gira, que fica super bem. Depois vou levar este top branco, que fica bem, mas não posso levar o meu soutien desportivo branco porque senão fico branca de mais. Vou levar antes este meu preto e cor-de-rosa que condiz com as calças e os ténis. TOP TOP TOP. Tou pronta, siga. Ai, espera, tenho de levar a minha garrafa de água a condizer também. Ainda bem que tenho uma rosa, uma verde e uma azul. Lole. 
(Confesso que me identifico muito com este tipo de mulher. Tenho apenas duas excepções: só tenho dois pares de ténis e não utilizo essas garrafas de água maricas)   
 
Homens no Ginásio: Estes ténis ainda dão, não estão rotos, siga. Levo estes calções com que costumo dormir no verão e esta t-shirt. O que é que diz aqui? Corta-Mato 2008? Fixe, siga. 

(continua)

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

2017, seu Cabrão

E ao décimo quarto dia, 2017 levou-me o meu cão querido.

Por favor, não pares de me surpreender.