quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Amor É

Escrevo este post para que não fiquem com a ideia, devido ao post anterior, de que sou uma neta má e rude. 

A minha avó é a pessoa mais importante da minha vida e é a pessoa de quem eu mais gosto. Prova disso está no que vos vou contar abaixo. 

Eu sei que a avó de cada um de vocês é a melhor cozinheira do mundo, mas vocês só acham isso porque nunca comeram os pratos da minha avó. Tenho então a melhor cozinheira do mundo ao meu dispor, que, sorte a minha, decidiu voltar a cozinhar após anos e anos de paragem. 

Outro factor que importa reter nesta história, é que eu odeio banana. Sempre odiei e acho que sempre vou odiar. Eu como todas as outras frutas do mundo. Banana é que não. O cheiro da banana enjoa-me solenemente e o sabor, oh jesus cristo, o sabor da banana é horrível. 

A minha querida avó já andava a falar do seu próximo doce há dois dias. Sempre que falava nele, mencionava um ingrediente secreto que só íamos saber no dia. Confesso que a descrição do doce me fez andar a salivar pelo lanche de Domingo durante dois dias. 

Chegou o lanche de Domingo, e com ele a sobremesa inventada pela Dª Umbelina. Ela lá fez uma pequena introdução ao dito, e apresentou com pompa e circunstância, o ingrediente secreto. 

BANANA! 

Fez-se silêncio na sala. Eu senti uma tontura gigantesca e um ligeiro ataque de pânico. O chão pareceu fugir-me dos pés e devo ter ficado branca. Se há coisa nesta vida que eu evito ao máximo, é magoar ou deixar triste a minha avó. E eu sei que se dissesse que não gosto de banana (como é que ela não se lembrou desta merda?) ela ia ficar super triste. A minha avó triste por minha causa, é uma coisa que eu nunca quero que aconteça. 

Respirei fundo, e sempre sob o olhar cúmplice da minha mãe, servi-me do doce. Com calma e descontracção tirei uma, duas, três colheres e consegui evitar a banana em todas elas. Quando já estava quase a recuperar os meus batimentos cardíacos a minha avó diz:

"não estás a tirar banana nenhuma, estás a perder o melhor do doce...dá cá isso" 

Serviu-me o resto do doce compensando a banana que eu não tinha posto nas colheradas anteriores. Senti os meus olhos encherem-se de lágrimas e um aperto forte no coração. 

O que se passou de seguida senhoras e senhores, foi uma das maiores provas de amor que se pode dar a alguém. 

Comi o doce. Comi a merda do doce até ao fim, todo ele empestado em banana e em cheiro de banana.

7 comentários:

  1. O comentario mais solidario que consigo fazer é, MUAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH....então e estava bom?

    ResponderEliminar
  2. OHHHHHHHHHHH :D !!! No próximo jantar vou pôr coisas verdes...LOLOL ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olha que tu não és a minha avó... metes coisas verdes e eu não comoooooo!!

      Eliminar
  3. estou como o Filipe.....ahahahhaha xD muito bom! Grande prova de amor!!! Mas como é que uma avó se esquece do alimento que a neta mais detesta? :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. acho que é a idade a pregar-lhe uma partida!

      Eliminar
  4. É amor sim :)) e aposto que até gostaste :)

    ResponderEliminar

O teu comentário é muito importante para mim :) Clica em "Notificar-me" para receberes a minha resposta.

Ao comentares ficas automaticamente inscrito no sorteio de um fantástico automóvel.